segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Veja lista de nove cenas curiosas de animais solidários


Confira casos inusitados de amamentação entre espécies diferentes.Há cadelas amamentando gatinhos, porquinhos, leopardos, por exemplo.

Neste mês, uma gata tem chamado atenção por amamentar um cãozinho órfão da raça Chihuahua em Phoenix (EUA). Abaixo listamos outros oito casos de solidariedade animal. Há, por exemplo, flagrantes de cadelas amamentando gatinhos, porquinhos e leopardos.




Uma gata tem chamado atenção em um centro de animais na cidade de Phoenix, no Arizona (EUA), por amamentar um cãozinho órfão da raça Chihuahua, segundo reportagem publicada neste mês pela emissora americana '3TV'. (Foto: Divulgação)



Honey, de 7 anos, amamenta o pequeno Precious em outubro de 2007 em uma casa em Stephens City, na Virgínia (EUA). O cão da raça golden retriever passou por uma situação inusitada após não conseguir dar cria: depois do dono dela, Jimmy Martin, trazer para casa um pequeno gatinho, a cachorrinha passou a produzir leite e alimentar o felino. (Foto: Scott Mason/AP)





Gata amamenta em maio de 2007 cãezinhos órfãos na cidade de Mamurras, que fica a 50 quilômetros de Tirana, na Albânia. (Foto: Arben Celi/Reuters)



Jila, uma gata de apenas dez dias, foi ‘adotada’ pela cadela Granpong, de um ano, na província tailandesa de Ayutthaya. A cena foi flagrada em setembro de 2008. (Foto: Reuters)


No ano passado, uma cadela amamentou, além do próprio filhote, dois pequenos tigres siberianos na China. A mãe dos felinos não pôde cuidar deles depois de dá-los à luz. (Foto: Reuters)


Em julho, uma cena pouco comum chamou atenção em uma fazenda no Condado de Lee, no estado da Flórida (EUA). A cadela chamada 'Tequilla' amamentou, além de seus oito filhotes, uma ninhada de porquinhos órfãos. (Foto: Reprodução)



Em 2007, veterinários de um zoológico na China exibiram a 'adoção' de dois filhotes de leopardos por uma cadela, que os amamentou como se fossem sua própria cria. A mãe dos felinos os abandonou, e, se não fosse a interação entre os animais, os pequenos leopardos correriam o risco de morrer. (Foto: AFP)



Cadela chamada ‘Coffee’ amamenta um gatinho órfão de três meses de idade em uma casa na província de Chiang Mai, na Tailândia. A cena foi flagrada por fotógrafo da agência ‘Associated Press’ em 30 de agosto. (Foto: Wichai Taprieu/AP)
Fonte:G1

Para vocês verem como é a solidariedade animal. Os humanos cada vez mais se discriminan por suas diferenças ja esse bichinhos dão valor ao que importa, a vida!

domingo, 18 de outubro de 2009

Finalmente eu fiz um templete novo. Espero que vocês gostem dele =)

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Na rua de casa.

Meu que medo que deu ontem, nesse mundo de hoje tudo é possível, até cena de filme teve na minha rua ontem que foi longe.

Tá ai a reportagem do JCNET (jornal da minha pequena cidade)

Pânico -
Os moradores da Vila Paraíso, em Bauru, viveram ontem um dia de pânico típico dos roteiros de filmes de ação. Após assaltarem uma papelaria na quadra 7 da rua Wenceslau Brás, quatro homens foram perseguidos por uma viatura e trocaram tiros com policiais pelas vias do bairro.

Os homens tentaram fugir, mas foram capturados a menos de um quilômetro de distância do estabelecimento, na quadra 4 da rua Salvador Filardi. Três armas foram apreendidas.

José Paulo da Silva, 23 anos, Nilson Ribeiro Marinho, 24 anos, Alessandro Gaspar Monteiro de Melo, 38 anos, e Márcio Roberto Zanin, 38 anos, foram presos em flagrante e deverão responder inquérito por roubo, porte ilegal de arma, tentativa de homicídio e formação de quadrilha.

Armados, os quatro invadiram a papelaria e renderam a proprietária, Marilúcia Prado dos Santos, 45 anos, e a balconista Priscila Edilaine Carvalho, 23 anos. Eles prenderam a funcionária no banheiro e obrigaram a proprietária a entregar aproximadamente R$ 300,00 em dinheiro, um monitor de LCD, um relógio e uma corrente de ouro.

Após o quarteto fugir em um Gol cinza, Marilúcia saiu na rua em busca de socorro. Em represália, os bandidos atiraram três vezes na direção do estabelecimento. “Foi quando um funcionário da farmácia que fica ao lado me encostou na parede e me jogou no chão. Eu não vi nada, só ouvi o barulho dos tiros”, relembra a comerciante.

No entanto, para azar dos assaltantes, uma viatura policial da Base Comunitária Oeste passava pelo local justamente naquele momento e ouviu os disparos. A perseguição teve início no cruzamento entre as ruas Carlos de Campos e Regente Feijó e terminou na esquina da rua Salvador Filardi com a rua Izidoro de Santis.

Durante o percurso, os bandidos atiraram contra a viatura, que foi alvejada no capô e no pára-brisas. A Polícia Militar (PM) revidou e estilhaçou os vidros traseiro e lateral direito do Gol, mas ninguém ficou ferido. “Rapidamente, os policiais pediram apoio e conseguiram acompanhar o veículo”, comenta o capitão Flávio Kitazume, comandante da Força Tática em Bauru.

Temendo serem atingidos, os criminosos abandonaram o carro e fugiram a pé, seguindo em direções distintas. Armado com um revólver calibre 38, Melo foi flagrado nos fundos de uma loja e Zanin foi detido em uma rua próxima com um revólver calibre 32.

Depois de realizar buscas no telhado de uma residência, que foram acompanhadas de perto por dezenas de curiosos, a polícia também localizou Silva com um revólver calibre 38 dentro de uma caixa d’água e Marinho escondido no forro da laje do imóvel. “Pelo menos três deles (Silva, Melo e Zanin) têm passagens pela polícia e já eram procurados pela suspeita de roubos em estabelecimentos comerciais na região”, frisa Kitazume.

De acordo com o capitão, ainda na tarde de ontem, duas horas antes de cometerem o assalto, Silva, Marinho e Zanin haviam sido abordados por policiais na região central da cidade, mas foram liberados por não ter sido encontrada nenhuma irregularidade.

Da ação que resultou na prisão do grupo, participaram mais de 20 policiais militares e 12 viaturas da Base Oeste, Força Tática, Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicleta (Rocam) e Polícia Federal. Os quatro assaltantes foram encaminhados ao Plantão da Polícia Civil, onde prestaram depoimento e, de lá, ainda na noite de ontem, deveriam ser levados à Cadeia Pública de Duartina.

Este foi o segundo assalto sofrido pela papelaria da rua Wenceslau Brás, desde a sua inauguração, em 2000. Na primeira ocorrência, em agosto deste ano, os ladrões roubaram aproximadamente R$ 8 mil, segundo a proprietária.
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget